• RFP Comunicação

Caso Gabriela Pugliesi e os Influenciadores Digitais


Quanto ao caso da Gabriela Pugliesi ter desrespeitado a quarentena para fazer uma festinha em sua casa, neste último sábado, para a Mari Gonzales (que acabou de sair da do BBB) e algumas poucas amigas, elas erraram sim, já pediram desculpas e estão sofrendo consequências sérias por isso.

Mas acredito que não deveríamos colocar em cheque todo um meio de comunicação e divulgação por conta de ações irresponsáveis de algumas "grandes" influenciadoras como alguns profissionais do nosso meio estão fazendo.

Hoje em dia, mais do que nunca, o marketing de influencia já se mostrou muito efetivo, trazendo resultados contundentes para as marcas que investem nele, sejam pequenas empresas que não tem muita verba para investir em marketing ou grandes companhias com uma estratégia complementar ao “marketing tradicional".

Na minha opinião ele pode ser comparado ao famoso boca-a-boca, só que feito no ambiente digital e com muito mais rapidez, reverberação e, portanto, eficiência.

Eu já trabalhei com influenciadores digitais para várias ações e trouxeram grandes resultados, mas claro que você precisa analisar e escolher bem os mesmos, aqueles que tem uma boa reputação e que se alinhem com o briefing, com a estratégia e planejamento traçado para a campanha e, principalmente, com a marca e seus valores, porque o influenciador "empresta" os seus valores (quem ele é) para as marcas com que está trabalhando. O que não pode ser feito é simplesmente escolher o influenciador da moda ou só porque ele é muito famoso naquele segmento, sem fazer uma análise realmente apurada, minuciosa e cuidadosa.

Uma estratégia que tem dado resultado e que pode ajudar a minimizar o risco de acontecer algo como o que aconteceu com a Pugliese, se for adequado ao briefing e ao objetivo traçado, é usar micro-influenciadores espalhados por diferentes regiões, ao invés de usar os "grandes", mas fazer isso certamente é um pouco mais complexo, assim, surgiram algumas plataformas bastante interessantes e úteis para ajudar nessa tarefa, inclusive vendo a reputação de cada um e mensurando os resultados efetivos da campanha.

Por fim, acredito que nesse momento de crise gerada pelo COVID-19, são justamente os influenciadores digitais que mais podem ajudar as empresas e as marcas, por serem nativos digitais e pelos valores cobrados por eles serem bem menores que dos meios tradicionais de comunicação, gerando uma possibilidade maior de obter um ROI mais expressivo.

#2020 #MarketingdeInfluência #covid19

comunicação

  • Facebook l Picolo Comunicação
  • Instagram l Picolo Comunicação
  • YouTube l Picolo Comunicação
  • Preto Ícone LinkedIn