• RFP Comunicação

Segunda-feira e a relação com o seu trabalho


Recentemente tenho pensado bastante sobre ser feliz no trabalho e a relação que isso tem com a nossa vida, principalmente depois de um papo com alguns antigos colegas de trabalho.

Eu acredito que a felicidade no trabalho depende diretamente da SUA e da MINHA disposição para isso.

Se você não estiver disposto a enxergar o famoso copo meio cheio em todas as situações que te cercam, não tem como dar certo. Claro que nem sempre é fácil fazer isso, mas temos que fazer esse exercício diariamente, por mais difícil que pareça.

Tenho certeza que se estivermos dispostos, podemos aprender com todas as situações, por mais que achemos que não.

Enxergue seu cliente como alguém bacana, que pode te ensinar. E acrescente algo interessante e positivo à relação para que, assim, ele te enxergue como alguém relevante. Afinal de contas, ele paga o seu salário direta ou indiretamente.

Admire seu chefe, pois por mais defeitos que ele tenha, sempre tem algo a acrescentar. Ele não está ali por acaso (na maioria das vezes). Tente avaliar pelo ponto de vista dele.

Ajude seu colega ou par, por mais que ache que ele não mereça por algum motivo qualquer. Isso retornará para você de algum jeito, pode ter certeza.

Afaste-se de pessoas reclamonas e fofoqueiras. Mantenha a relação profissional, mas não se deixe influenciar. Essas pessoas podem ser um atraso na sua vida.

Ensine seus subordinados. Assim você deixará um substituto a altura e um legado. Isso é sinônimo de um bom trabalho realizado.

Não esqueça de colocar na balança sua qualidade de vida. Se não tiver tempo para a sua família ou lazer, algo precisa ser revisto. Isso também depende muito de planejamento pessoal.

Mas acima de tudo, AME o que você faz. Sem isso, absolutamente nada que você fizer adiantará.

Claro que, como ninguém é perfeito e nem de ferro, tem dias que você tem vontade de fazer ou falar alguma bobagem, para não dizer outra coisa. Quando isso acontecer, se segure, não faça ou fale nada, porque com certeza o resultado não será bom. Nada como uma noite bem dormida para equilibrar o bom senso. No outro dia a sua “fúria” já terá, pelo menos, diminuído e, se você ainda tiver que fazer ou falar algo, será de uma forma mais racional, pensada, portanto, mais acertada e eficiente.

E quando achar que a sua curva de aprendizado e, consequentemente, de felicidade estiver na descendente, procure novos horizontes, pois não dá para ser infeliz no trabalho. Certamente você transferirá isso para a sua vida pessoal, afetando também família e amigos, o que não é justo.

Isso tudo parece um monte chavões velhos, antigos, mas muitas vezes nos esquecemos de tudo isso. A maioria das pessoas vai dizer “até parece que é fácil” ou “isso é impossível, utopia”, mas te garanto que não é.

Não estou aqui tentando dar uma de entendedor das relações humanas ou do trabalho perfeito. Não tenho gabarito para tal. Apenas estou relatando algo que aprendi a duras penas, coloquei em prática e deu certo.

Então, se você está infeliz, tente mudar e me conte depois.

“Não espere que seu emprego mude, seja você a mudança no seu emprego.”

Boa segunda-feira. Boa semana.

Rodrigo Picolo

Sócio-diretor RFP Comunicação

#coach #rfp

comunicação

  • Facebook l Picolo Comunicação
  • Instagram l Picolo Comunicação
  • YouTube l Picolo Comunicação
  • Preto Ícone LinkedIn